O número 38 da revista Devarim foi colocado no correio para os seus assinantes antes de Pessach. Um dos temas da revista é a análise da obra do recém falecido escritor israelense Amos Oz, figura de maior relevo na formação do pensamento sionista moderno. 

A Devarim também traduziu um artigo do JTA sobre a monumental obra de Robert Alter, que traduziu todo o Tanach (a Bíblia hebraica) para o inglês de forma literária. 

Pessach foi focado por textos do rabino Sérgio Margulies e de Ricardo Gorodovits. Já o rabino Dario Bialer escreveu sobre o dilema da continuidade pela assimilação, tomando como base o seriado israelense Shtisel. 

O renascimento do idioma histórico do judaísmo - hebraico - no moderno Estado de Israel foi abordado num texto de Ruth Josephson e Marcia Rozenthal ressaltou uma interessante curiosidade da relação do hebraico com o feminismo. 

A paz é possível? Se mais iniciativas como a Givat Haviva, que foi visitada por Rafael Stern especialmente para a Devarim, prosperarem no mundo, há uma grande dela prevalecer. Ao mesmo tempo, Hernan Rustein, estudante de rabinato no Instituto para a formação rabínica reformista, abordou o pensamento de Buber, Levinas, Arendt e Scholem. 

No conjunto temos mais uma edição de grande valor para todos os que se interessam pelo judaísmo sob a ótica religiosa reformista, sionista, inclusiva e igualitária.